Nosso convidado desse mês, Francisco Eduardo Fonseca, já trabalhou como engraxate, vendedor de bolinha de gude e office boy. Amante da corrida de rua, Chico, como é conhecido pelos colegas, já correu maratonas e meia maratonas em várias partes do Brasil. Engenheiro Eletricista, atualmente exerce o cargo de Gerente de Projetos na Tetra Tech América do Sul.

São quase 40 anos trabalhando no mercado de Engenharia. Como foi o processo de deixar a linha de frente dos projetos atuando como técnico e se tornar Gerente de Projetos?

A diferença não foi muito grande porque como líder de projetos e coordenador da disciplina de elétrica, já tinha trabalhado em grandes projetos e já estava acostumado a planejar e a controlar os custos, porém apenas de uma única disciplina.

Como gerente de projetos, a dificuldade maior é termos que ajudar no planejamento de todas as disciplinas, bem como os custos delas, para que o contrato dê o retorno esperado pela Tetra Tech. Temos que participar também, dentro do possível, das soluções técnicas de cada um.

Na sua opinião, os desafios do gerenciamento de projeto são maiores do que os técnicos? Poderia nos contar qual foi a maior adversidade que você vivenciou na sua trajetória profissional?

As duas funções têm seus desafios e suas dificuldades, Gerente tem que fazer funcionar várias disciplinas ao mesmo tempo, atender os prazos solicitados pelos clientes e garantir a margem de lucro para a Tetra Tech, é um grande desafio.

Tive várias adversidades, talvez a maior foi quando me formei em junho de 1983, não tinha emprego para engenheiro, vários amigos desistiram e foram para outras áreas, eu pensei em estudar para concurso e largar tudo, mas insisti e estou aqui até hoje, feliz.

Quais são os principais entregáveis da disciplina de elétrica? E qual seria a finalidade de cada um deles?

Para citar os principais eu diria que seriam o Estudo de Demanda e os Diagramas Unifilares, porque são o ponto de partida de toda instalação elétrica. Na Demanda chega-se à potência total da instalação, definindo-se o transformador e nos Unifilares definimos os painéis e as salas elétricas.

Você trabalhou como funcionário da Votorantim (hoje, Nexa) e atualmente esse é um dos clientes que você gerencia. Quais são as vantagens e inconvenientes dessa relação?

A vantagem é que sempre fui muito bem recebido em todas as unidades, o cliente me deixa muito à vontade. Os procedimentos internos são muito parecidos com os do tempo em que trabalhei lá, somado a isso, ainda encontro colegas que trabalharam comigo.

Os inconvenientes são por conhecer um pouco dos procedimentos, às vezes temos que entrar em conflito com o cliente, principalmente nos prazos solicitados, pulam etapas dos projetos, o que no meu tempo tentávamos não deixar isto acontecer a todo custo. Hoje, em quase todos os projetos a metodologia FEL é esquecida, e ela faz parte dos procedimentos.

Você não aparenta ter a idade que tem. Qual seria seu segredo para envelhecer de forma tão saudável e ativa?

Não há receita milagrosa, pelo contrário, faço combinações simples que busco diariamente praticar. 1 – Alimentação: pratos sempre coloridos, frutas e muita água. Como todos os tipos de comida, mas modero a quantidade. 2 – Atividade Física: Posso dizer que é um vício, corro, nado, faço musculação, e dentro de casa o tempo todo estou em movimento, seja ajudando na limpeza e organização ou seja brincando com minhas filhas Manuela, Luana e cachorrinha Moana. 3 – Atitudes: Encarar a vida com leveza, estar disposto a superar às adversidades, manter o bom humor – às vezes não é muito fácil. Gosto de estar junto da família e amigos, seja confraternizando ou apenas me fazendo presente. O mais importante é saber balancear, não há vida e mente saudável se você for muito duro com você.