Play automático
Off On

Artigo

Complexidades na compreensão de áreas impactadas por múltiplas fontes de substâncias per e polifluoroalquil (PFAS) em águas subterrâneas

PFAS em águas subterrâneas

Os PFAS (substâncias per e polifluoroalquil) são uma classe de produtos químicos sintéticos muito estáveis, persistentes no ambiente e com propriedades que lhes permitem repelir água e óleo.

 Existem milhares de PFAS com vários grupos químicos; no entanto, apenas algumas dezenas de PFAS podem, atualmente, ser analisados e identificados no meio ambiente.

Como o uso de PFAS na indústria é generalizado, podendo ser encontrados em inúmeros produtos de consumo (cosméticos, impermeabilizantes, antiaderentes, etc.), assim como em espumas de combate a incêndios provocados por combustíveis, a existência de múltiplas fontes, on site e off site, misturadas, podem estar contribuindo para o impacto observado em uma área em investigação ambiental. O PFAS é, comumente, detectado em baixos níveis em amostras de águas subterrâneas, coletadas durante investigações em ambientes industriais ou urbanos, onde não existe nenhuma fonte óbvia; assim como, muitas vezes, não estão disponíveis valores de referência para avaliar potenciais contribuições de fontes externas. Os resultados da investigação de uma área devem identificar as possíveis fontes potenciais de PFAS, internas e externas, para possibilitar o desenvolvimento de um modelo conceitual completo do site.

Exemplo de identificação de fontes com foto aérea e gráficos em pizza (para ilustração apenas)

Um dos desafios associados à caracterização de sites impactados por PFAS está na avaliação das águas subterrâneas diante de potenciais múltiplas áreas-fonte, internas e externas ao site. Por isso, a representação da distribuição e das concentrações relativas de PFAS individuais em todo site em investigação é essencial para a interpretação dos dados e consolidação do modelo conceitual.

Dentre as possíveis formas de visualização, apresentamos os gráficos de setor ou “pizza”, que podem ser facilmente aplicados para auxiliar na identificação de fontes nas diferentes porções de uma pluma de PFAS nas águas subterrâneas de um site. Assim, a representação das concentrações relativas de PFAS individuais e as concentrações relativas de PFAS em cada local avaliado são exibidas para a completa caracterização do site com a identificação das potenciais fontes.

Três gráficos em pizza mostrando AFF Legado de 1ª geração (1), AFF de Segunda Geração (2), Fluorotelômero AFFF moderno (3)

Aplicando-se métodos para avaliar e exibir visualmente a distribuição de PFAS em águas subterrâneas, as potenciais fontes de PFAS, internas e externas ao site, podem ser melhor avaliadas e correlacionadas às assinaturas conhecidas de PFAS, normalmente associadas a áreas de origem múltipla, como aterros sanitários, operações de cromagem e uso de espuma de combate a incêndios (Líquido Gerador de Espuma ou AFFF na sigla em inglês), que estejam potencialmente contribuindo para a ocorrência dessas substâncias nas águas subterrâneas. A análise integrada da distribuição e composição dos PFAS pode ser utilizada para auxiliar a caracterizar um site complexo onde múltiplas fontes existentes podem estar presentes, incluindo a influência de fontes externas que também podem contribuir e misturar-se às águas subterrâneas dentro de uma determinada área em investigação.

Referências Bibliográficas

Lang et al., 2017. National Estimate of PFAS Release to U.S. Municipal Landfill Leachate, Environ. Sci. Technol., 2017, 51, 2197-2205; ITRC, 2020.

PFAS Technical and Regulatory Guidance Document Fact Sheets; I. Fuertes et al., Perfluorinated alkyl substances (PFASs) in northern Spain municipal solid waste landfill leachates, Chemosphere 168 (2017) 399 – 407;

1st and 2nd Generation Formulations are Approximate based on TRC Presentation at 37th Annual International Conference on Soils, Sediments, Water and Energy, October 19, 2021;

ITRC PFAS Technical and Regulatory Guidance Document, December 2021 Chapters 3 and 10. C. Butt, et al., 2014.

Biotransformation Pathways of Fluorotelomer-Based polyfluoroalkyl Substances: A Review. Environ. Toxicology and Chemistry, Vol. 33, No.2, pp. 243-267.

Scroll to Top